Comissões Técnicas

Comissão Técnica de Cobrança e Conformidade de Contribuições

Comissões Técnicas

Comissão Técnica de Cobrança e Conformidade de Contribuições

Se não fosse a arrecadação de contribuições e a existência de receitas vinculadas, não haveria seguridade social. Embora existam diversos modelos organizacionais (cobrança pela própria instituição, por órgão especializado ou por meio de impostos), há muita sobreposição entre eles.

A Comissão Técnica de Arrecadação e Conformidade de Contribuições é responsável por tudo o que diz respeito às fontes de financiamento da Previdência e sua tutela. Embora a Comissão Técnica de Arrecadação de Contribuições e Conformidade não cubra essencialmente o modelo organizacional financiado por impostos, trata de questões que podem ser de interesse além do escopo da arrecadação de contribuições. Isso inclui as questões macroeconômicas, técnicas e operacionais decorrentes dessas questões.

Como comissão especializada em cobrança, garante que tais assuntos sejam incluídos nos documentos de política da ISSA sobre temas gerais como comunicação, extensão de cobertura, governança e qualidade do serviço, que podem ter particularidades no que se refere à área de cobrança. Portanto, desempenha um papel na elaboração das Diretrizes da ISSA, abordando-as desse ângulo.

Esta comissão é, notadamente, encarregada de coordenar e monitorar o Diretrizes da ISSA sobre Cobrança de Contribuições e Compliance e o Diretrizes da ISSA sobre erro, evasão e fraude nos sistemas de seguridade social. Como tal, garante intercâmbios regulares com outras comissões técnicas sobre aspectos de particular relevância para estas, nomeadamente com a Comissão Técnica de Tecnologia da Informação e Comunicação, a Comissão Técnica de Organização, Gestão e Inovação e a Comissão Técnica de Assistência Médica e Seguro de Doença.

Além disso, a Comissão Técnica de Coleta de Contribuições e Conformidade fornece regularmente à ISSA boas práticas que podem ser do interesse de suas instituições membros. Podem dizer respeito, por exemplo, ao fornecimento regular e proativo de informações às pessoas seguradas sobre os direitos que elas acumularam durante sua vida profissional; o uso de soluções inovadoras para proteger esses direitos; gestão do fluxo de caixa dentro das instituições; a extensão da cobertura a trabalhadores autônomos ou pessoas que trabalham em microempresas; ou a implementação de técnicas revisadas de gerenciamento de risco ou para tornar as verificações mais direcionadas.

A comissão técnica também coordena o pensamento das instituições de seguridade social responsáveis ​​pela arrecadação de contribuições e fraudes em torno de questões da atualidade, propondo políticas adequadas com base em conhecimentos concretos ou pesquisas de campo cujas respostas são sujeitas à análise de todos os membros. Uma vez que essas respostas tenham sido validadas pela comissão, elas são compiladas em um relatório técnico que é então publicado sob o nome da comissão no Fórum Mundial da Previdência Social. É desta forma que esta comissão tem conseguido, por exemplo, produzir relatórios sobre temas como técnicas de combate à fraude ou métodos de arrecadação de contribuições de trabalhadores por conta própria (ou declarados como tal) que trabalham através de plataformas de serviço.